4.2.12

Formigueiro


Depois de tanto tempo, tanta expectativa e tanta saudades… nada.
É isso que tenho a dizer, infelizmente. Não encontro mais.
Não consigo ver todo o significado que via e sei que não sou só eu e as minhas teorias.
Não entendo como aconteceu, só sei que se perdeu.
Não é a mesma coisa e pelo visto nunca mais será.
Queria muito -muito- que as coisas voltassem a ser como eram e mais uma vez, 
sei que não sou a única, o que por muitas vezes me conforta.
Mas, como dizem por aí: ‘querer não é poder’.  Sinto muito.
Talvez uma das coisas que mais irei sentir, de verdade.
Não vou fingir que não tenho esperanças, que não acredito que um dia tudo possa 
voltar a ser como era, mas sei que é difícil, para não dizer impossível.
 Ainda tenho o sonho de realizar metade das ideias planejadas, porém, isso 
também não quer dizer que as coisas voltem a ser como eram.
Tento, pelo menos. Prometi nunca deixar, nunca separar e não vou abandonar.
Formigueiro, não sei porque, talvez seja a força, ou não.
Saudades de um tempo que não volta mais.
Infelizmente, de novo. Era uma vez, um formigueiro cheio de formigas 
extremamente felizes. Era uma vez.

3 comentários:

LariMooreira ; disse...

realmente nao é a unica, eu também queria que as coisas voltassem como eram antes. Mais por outro lado, estou gostando das mudanças.
Gostei c:
bom domingo
meumundoloove.blogspot.com
avidadelaari.blogspot.com

NíNa-chan disse...

Olá, olá.
Amei o teu blog *--*
Te estou seguindo, sim?
E se quiser seguir o meu aqui tá o endereço:
okareni-minna-sanina.blogspot.com
adoraria que participasses na minha história que estou fazendo com todo o mundo, chamada : "Justiceiros"

Carol Bortolo disse...

:D

Talvez Poeta © Theme By SemGuarda-Chuvas.