21.9.11

Visita Sutil.


Hoje o mundo não parece tão assustador. O mundo de hoje não é um lugar 
confuso, inquieto, relutante. Não o sinto tão vasto, tão grande, tão de todos 
e ao mesmo tempo de ninguém. É que hoje o mundo que chega aos meus 
olhos é encantador... Perdeu aquela mania de grandeza. Perdeu, simplesmente, 
não sei onde, nem como. Apenas sei que o mundo diminuiu. Diminuiu sim, mas 
para caber mais gente, mais riso, mais alegria, mais conforto, mais beleza, menos 
solidão. O mundo que percebo hoje vem cheio de pequenezas - tão 
significativas! - : um céu azul imaculado, uma brisa que leva pólens e fecunda 
as plantas, o sol que começa a esquentar. As crianças que brincam de 
esconde-esconde. Os sorrisos que eu conheci. E por um segundo tudo faz 
sentido... A vida, os propósitos, ou não. E o mundo diminuiu... e hoje tudo tem 
sabor de lanche feito em casa. Tranquilidade, certezas. Como se o mundo todo 
fosse apenas uma extensão da minha vizinhança. Acolhedoramente, e só. 
Amigos, literatura, palavras bobas e muitos sorrisos. Fácil. Simples. Assim. 
O mundo diminuiu para hospedar mais felicidade.

Nenhum comentário:

Talvez Poeta © Theme By SemGuarda-Chuvas.