18.7.11

A única exceção

Dias de chuva como esses eu nunca vi igual, isso nunca aconteceu durante o tempo que estávamos juntos, meus sentimentos por você mudaram assim como as estações mudam com o do tempo. Depois que você partiu sem olhar para mim eu não vi a luz que via em seus olhos quando me olhava, não vi mais o sol brilhar como antes desde quando você dizia que me amava; você fez o tempo se fechar para mim até hoje ainda vivo com uma nuvem negra sobre a minha cabeça com uma grande tempestade me seguindo, com uma enorme tristeza que não passa que não tem cura, queria muito poder te encontrar para dar um jeito nesse terrível resfriado no meu coração. Mas você se foi sem deixar pista, nenhum detetive do país consegue me ajudar, você nem sequer deixou suas pegadas para mim seguir, não sei mais o que eu faço, se eu vivo ou se eu morro, você já danificou todo o rumo de minha vida que virou uma completa bagunça, tudo o que eu faço é anormal você esta trancado dentro de minha mente eu queria que pelo menos você pudes se sentir o que eu estou sentindo por um minuto, estar em minha pele para que você tenha apenas uma noção do que eu passo só de pensar em você, não sou forte como você, sou frágil e muito triste, me sinto só; mas as vezes isso até passa quando eu finjo que você está dormindo do meu lado enchuagando minhas lágrimas. Eu sinto sua falta, mais vejo que essa saudade não tem cura e nunca vai passar é por isso que você é e sempre será minha única exceção.



Nenhum comentário:

Talvez Poeta © Theme By SemGuarda-Chuvas.