15.4.11

Só enquanto houver amor.



Promete que a gente só vai ficar junto enquanto um amar o outro? Enquanto houver 
brilho no olho, palpitar de corações, estrelas contadas no céu, buquê de flores sem 
motivo, sorrisos tolos, beijos na chuva? Quando o amor acabar, a gente pode pegar 
um cinema, e eu posso te ouvir falar da sua vida, a gente pode se ouvir lamentar o 
que acabou... a gente pode se ligar no Natal, no Ano-Novo, nos aniversários, a 
gente pode virar amigo, sabe? Você pode me encontrar na fila do supermercado 
perguntar como vão as crianças, eu posso querer saber como vai a gravidez da sua 
esposa, a gente pode conversar sobre fraldas, mamadeiras e escolinhas. Quando o 
amor acabar, ah, isso pode acontecer de um jeito mais legal do que se vê por aí. 
Promete, então, que quando o amor acabar eu vou ser a primeira a saber? Pra não 
perder a graça, pra não perder a rima, pra manter a beleza, promete pra mim que 
só vai haver nós dois enquanto houver amor?

'Porque, às vezes, viver sem amor é triste demais.'

Nenhum comentário:

Talvez Poeta © Theme By SemGuarda-Chuvas.