21.1.11

Daqui para fora



Há algum tempo nasceu. Nasceu do nada. Era forte, sadio, lindo de se ver. Então adoeceu. Se tratou, reergueu. Desapareceu. Ninguém lembrou, ninguém falou, ninguém olhou. Nem procurou, não era meu. Quase morreu. Quase matou, sem dó nenhum. Se cansou... Anoiteceu, a chuva cai lá fora. Adormecerá para não mais acordar. Vá em paz xodózinho, tome seu caminho e construa outro lar.

Nenhum comentário:

Talvez Poeta © Theme By SemGuarda-Chuvas.