5.11.10

É particular.


O importante é ser em particular. É ser sem alarde, ser não por pressão, ser porque assim desejamos. Ser o que desejamos. Toda essa vontade de agradar ao outro, toda essa pressão social que nos diz que devemos ser sempre sorridentes, agradáveis, legais, despreocupados, além de simpáticos, é claro... não leva a nada. Nunca seremos o bastante para todos; não se pode agradar a gregos e troianos. E mesmo que pudéssemos estar em harmonia com todos os seres do universo, mesmo que todos nos amassem, nos aceitassem e compreendessem, não seria garantia de felicidade. Essa é uma coisa que ninguém pode nos dar, nem mesmo os nossos mais belos sonhos. A felicidade vem de dentro, e é aí que ela está o tempo todo, mesmo enquanto procuramos como loucos por ela. Felicidade é particular. Por isso, vamos ser aquilo que realmente somos. Sem medo de mostrar nossos defeitos, nossas fraquezas, nossas qualidades, nossos acertos. Devemos buscar a cada dia aprimorar o nosso ser, mas para isso precisamos primeiramente admitir quem somos. Porque tanta resistência ao que, de fato, nos faz únicos? Porque mudar-se completamente, abdicar de você, de seus gostos, vontades, opiniões, abdicar de tudo aquilo que faz você ser o Fulano, querido por Ciclano, Abeltrano e mais outros tantos? É verdade que seu jeito não agradará a todos, mas isso é missão impossível, nem Jesus conseguiu, até hoje. Portanto, basta de massificação. Basta de querer ser igual a todo mundo. Assumamos, pois, o nosso verdadeiro eu. Amemos nossa essência, amemo-nos em primeiro lugar. Mas isso se você quiser, pois querer ou não ser assim, também é particular.


Nenhum comentário:

Talvez Poeta © Theme By SemGuarda-Chuvas.